Lifestyle

Quando for grande quero ser...

sexta-feira, 25 de março de 2016


"Quando for grande quero ser como ela. Não. Melhor que isso. Quando for grande, quero ajudar as mulheres a serem como ela."



Acho que todos nós, na nossa infância, tivemos alguém, algum familiar, alguma figura pública que fazia despertar em nós, um interesse tal, ao ponto de idolatrarmos esse mesmo alguém. A nossa mente regista isso e cria em nós certezas e vontades para o futuro.
Foi exatamente isso que aconteceu com a história que dou a conhecer "Entre Nós", na estreia desta rubrica.

Era a tia mais cheia de pinta e estilo, envolvida num casaco branco de pêlo, conjugado com uns óculos quadrados e fumados, umas calças de ganga subidas e os compensados de cabedal. Respirava moda. Era a tia que, orgulhosamente, qualquer uma de nós se derretia de vaidade a apresentá-la ao grupo de amigas. Com uma referência destas, a certeza ganha força e responde claramente ao motivo da aposta nos casacos de pêlo. Associada, vem também a paixão pelo toque suave deste material e a referência ao estilo de glamour, boémio e com uma rebeldia de todo o tamanho.

O gosto pela costura, nasceu com esta artista, que desde cedo começou a costurar, fazendo figurinos para teatro em Portugal e na Alemanha. Mas a vida, sabe-se lá porquê, decide trocar-lhe as voltas e é no Inglês e no Alemão que termina a sua formação académica e vira professora. Foram anos de dedicação, de trabalho, de tantas voltas e fugas, que um dia a volta é só uma. São 180° que, inesperadamente, lhe dão um balanço tão grande, atirando-a para o início da sua vida. Não valia a pena tentar outro caminho. A costura era, decididamente, o caminho a percorrer.

O sonho torna-se realidade e avança com a formação de costura à noite, de forma a poder conciliar com o seu, ainda trabalho de professora.
Começam as noites mal dormidas, as insónias constantes. Deste sonho, não fazia só parte a costura, havia algo mais além. A coragem é agarrada, o salto é dado num impulso tão forte que faz esta jovem empreendedora, despedir-se da sua carreira de 12 anos e apresentar a sua marca de casacos de pêlo.

Tchim tchim!!!
Um brinde à  Embrace Inc.

Fazer montagens de pêlo, é a sua imagem de marca.
Adquire materiais lisos e depois dá asas à sua imaginação, apostando em composições variadas, desde as riscas às formas geométricas, letras e até mesmo paisagens. Faz tudo de forma orgânica e manual, com o objetivo de criar casacos únicos, que contem histórias e transmitam emoções. Diz NÃO ao pêlo animal, e SIM ao sintético de alta qualidade.

Atenção mulheres independentes e corajosas, que gostam de testar os seus próprios limites e divertirem-se com os seus outfits. A Embrace Inc. existe e está aí para vocês .
O nome escolhido, tinha que passar a mensagem mais real e genuína possível. Por um lado, a mensagem do abraço quentinho que é dado pelos casacos, e por outro, o manifesto de ousadia que a marca quer transmitir.


Para a fundadora deste projeto, "Há um lado escondido na zona de conforto. O lado que esconde um mundo de possibilidades, que como mulheres e seres humanos, devemos explorar. Afinal, porque não? É não é assim tão difícil...difícil é não vivermos a nossa vida de sonho." #Embrace Inc #WeHoldYouClose

"Entre Nós", acredito mesmo que só vivemos uma vez e por isso mesmo, devemos agarrar esta oportunidade que nos é dada. Viver é muito mais que o simples respirar. Viver é sentir emoções, é sentir a alma a transbordar de felicidade, é chegar ao fim da vida e poder sorrir com a satisfação de missão cumprida.

Quanto aos sonhos, corram atrás, não os deixem morrer, mesmo sabendo que dão uma trabalheira do "caraças" e que são conseguidos, a trilhar os caminhos mais sinuosos. O resultado final vale demasiado a pena.
Um excelente fim de semana ;)

Sem comentários:

Enviar um comentário